24 de nov de 2012

SIMPATIA DA LUA CHEIA - AMOR


Exclusiva no coração dele

Numa sexta-feira de Lua Cheia, pegue 3 calcinhas vermelhas e escreva em uma o nome completo do seu amado, na segunda um apelido dele e na terceira apenas o primeiro nome dele. Feito isso, pegue 1 cueca do seu amado escreva a frase: "Eu sou de (escreva seu nome) e a mais ninguém pertenço". Depois, amarre as calcinhas e a cueca com 1 fita de cetim preta.
Vá a um quintal, pingue 13 gotas de essência de jasmim nas roupas íntimas e ofereça à Lua. Feito isso, jogue um pouco de álcool e coloque fogo, com cuidado. O que restar do que foi queimado, enterre num jardim florido.

ORAÇÃO DOS GRÃOS




Para Ti, Senhor, elevamos a nossa alma.

Nosso Deus, em Ti confiamos: nós não seremos 


decepcionados, pois a Ti agora entendemos melhor!

De nós não mais escarnecerão nossos inimigos, já 


que em Tua vibração de Amor agora nós percorremos 

nosso caminho de volta ao Lar, de volta aos Teus 

braços.

E é por esperar em Ti que não mais seremos 


confundidos, pois distinguimos a luz das trevas.

Mandaste, Senhor, o Teu Filho para nos indicar as 


Tuas veredas e a localização delas: o nosso coração; 

para nos informar a bagagem que devemos portar na 

nossa viagem de volta pra casa: o amor, a pureza, a 

adoração e respeito por toda a Tua criação, a 

compreensão para com nossos irmãos que também 

fazem sua viagem, mas que estão em pontos 

diferentes da caminhada e a quem não temos o direito 

de julgar.

Temos ciência que por Tua misericórdia, Tu nos dás 

mais do que merecemos, e que Teu perdão também é 

para nós.

Já não temos medo das trevas, pois elas são 


rompidas por Tua Luz.

Já não temos medo da solidão, pois ela não existe.

Tu jamais nos abandonaste, somente somos nós que 


não nos lembramos que somos filhos de um Pai 

amoroso, reto e perfeito, que só deseja de nós 

caráter, honestidade e inocência.

Que nós possamos, Senhor, aprender mais e mais a 


Te reconhecer em tudo que existe, pois Tu és tudo.

Que nós possamos, Senhor, fazer brilhar cada vez 


mais forte a Tua centelha que flameja em nosso 

coração e que nós possamos ajudar com a nossa 

centelha a dissipar as trevas, abrir as mentes dos 

irmãos que ainda não Te conhecem.

Agora nós sabemos, Senhor, que queremos realizar o 


Teu maior desejo: que nós sejamos felizes, e que a 

felicidade só pode ser 

alcançada através da fé e 

da 

suavidade que é viver em 

Ti e respeitando a Tua 

Vontade.

Nós agradecemos, Senhor, por tudo que tens feito 


por nós enviando-nos as Tuas Legiões Celestiais e 

nossos Irmãos mais velhos para nos orientar, nos 

ajudar, nos aconselhar e fazer com que nós 

cheguemos cada vez mais perto de Ti.

Obrigado, Senhor.

Nós Te amamos mais que tudo.

Amem...

BOM FIM DE SEMANA À TODOS





MARAVILHOSO FIM DE SEMANA PARA TODOS, COM MUITA PAZ, AMOR E SABEDORIA!!!

23 de nov de 2012

RECICLAGEM DE TAMPAS DE PET





GENIAL MESMO. JÁ COLOQUEI EM PRÁTICA. FECHEI UM SACO COM FARINHA. MARAVILHA.

Idéia para reciclar tampas de pet.
Corte logo abaixo do gargalo usando tesoura ou outro cortador.

Passe o saco plástico por dentro do gargalo cortado.


Depois basta fechar com a tampa.
E pode usar nas embalagens de mantimentos, pães etc.

======================

RECEITAS: CHESTER DESOSSADO COM FAROFA

RECEITA DE CHESTER DESOSSADO COM FAROFA 


DELICIOSA



Foto: Perdigão
Ingredientes
  • 1 Ave Chester® Desossada Perdigão (aprox. 2,5 kg)
  • 1 colher (sopa) de margarina
  • 1 xícara (chá) de vinho branco
  • 1 colher (sopa) de molho inglês
  • 1 xícara (chá) de suco de uva
  • 1 colher (café) de erva doce
  • 1 colher (chá) de sal
  • Rodelas de batatas ou couve para forrar a assadeira
  • Alface americana e azeitonas recheadas para decorar
Farofa
  • 1/2kg de linguiça de carne de Pernil Ouro Perdigão
  • 100g da Bacon Defumado Fatiado Perdigão, cortados em tiras
  • 1 colher (sopa) de margarina
  • 1 colher (sopa) de cebola picada
  • 1 xícara e meia (chá) de aipo picado
  • 2 xícaras (chá) de champignon fatiado
  • 1/2 xícara (chá) de azeitona verde picada
  • 1 xícara (chá) de cenoura picada
  • 1 xícara (chá) de ameixas pretas picadas
  • 1/2 xícara (chá) de nozes picadas
  • 1 pacote de pão de fôrma de centeio esfarelado
  • 1 colher (chá) de alecrim
  • 1 colher (chá) de orégano
  • Sal e pimenta-do-reino à gosto
  • 3 xícaras (chá) de uva fresca pequena, sem sementes
  • Salsa picada
Modo de preparo
  • Descongele a Ave Chester® conforme as instruções da embalagem.
  • Coloque a Ave em uma assadeira, besunte-a com a margarina e regue-a com a mistura de vinho branco, molho inglês, suco de uva e erva-doce.
  • Reserve-a.
Farofa
  • Em uma panela, aqueça a margarina e junte o bacon e a linguiça de pernil sem pele.
  • Deixe dourar por igual e acrescente a cebola, o aipo, o champignon, a azeitona, a cenoura, a ameixa preta e as nozes.
  • Retire do fogo e junte o pão de centeio, sempre mexendo.
  • Acrescente o alecrim, o orégano, o sal, a pimenta-do-reino e, por ultimo, as uvas e a salsa picada.
  • Misture bem e recheie a Ave Chester® Desossada com essa farofa.
  • Costure a Ave Chester® Desossada e coloque-a em uma assadeira untada com óleo, forrada com batatas ou couve.
  • Cubra com papel-alumínio e leve ao forno médio, preaquecido (220°C), por 2 horas, aproximadamente.
  • Retire o papel-alumínio e deixe no forno o suficiente para dourar.
  • Decore com o alface americana e azeitonas recheadas.
  • Sirva a seguir acompanhada do restante da farofa.
Rendimento: 10 porções
Tempo de preparo: 40 minutos

O MISTERIOSO RELÓGIO QUE VEIO DO FUTURO


O misterioso relógio que veio do futuro


"Muito se discute sobre a possibilidade ou não da realização de viagens no tempo. Em nossa realidade e época elas ainda não são possíveis, de acordo com informações de cientistas e estudiosos.
Mas, e no futuro? Será que em alguma data futura já foi criada a tão almejada "Máquina do Tempo?
Existem relatos de pessoas que dizem que encontraram viajantes do tempo e cada vez mais, descobertas fascinantes fazem com que as realidades mais distantes se mostrem mais plausíveis do que possamos imaginar".

A Descoberta descrita a seguir é um exemplo disso:

19/12/2008
Arqueólogos se mostraram surpresos após encontrarem um relógio suíço de cerca de 100 anos de idade em um túmulo que estava fechado há mais de 400 anos na China, segundo o jornal inglês "Daily Mail".

Os arqueólogos acreditavam que eram os primeiros a visitar o túmulo da dinastia Ming, em Shangsi, na China. Mas, ao abrirem o túmulo, eles encontraram um relógio miniatura com um círculo escrito "Swiss", objeto que acreditam ter um século de idade.

O misterioso relógio estava encravado no barro e na rocha e marcava 10h06. 

Segundo especialistas, relógios eram desconhecidos na dinastia Ming. Além disso, na época, a Suíça nem sequer existia como um país.

De acordo com a reportagem, os arqueólogos estavam fazendo um documentário com dois jornalistas quando fizeram a descoberta.

Relógio Suíço encontrado em Túmulo de mais de 400 anos na China

Além de relatos sobre possíveis viajantes no tempo que visitam nossa época, seria essa a prova que faltava sobre essa realidade?

ERVAS CURATIVAS: CANELA






CANELA "Cinnamomum zeylanicum" Originária 

do Sri Lanka, sudeste da Índia, 

é aromático, 

estimulante da circulação, do 

coração e 

aumenta a pressão. Provoca a 

contração de 

músculos e do útero, por isso é 

hemenagoga.

Também é utilizada em 

defumações da casa e 

de terreiros, para trazer prosperidade, e abrir 

caminhos para o dinheiro.

SIMPATIA PARA AUMENTAR O TESÃO


Simpatia: Aumentar o tesão


Num dia de Lua Cheia, pegue 1 fita branca e escreva nela seu pedido. De- pois, pegue 1 rosa, 1 cravo, 3 pimentas dedo-de-moça vermelhas e amarre a fita em tudo, dando 3 nós. A cada nó, reze 1 credo e 7 pais-nossos. Vá a uma missa com o arranjo nas mãos, 1 quartzo rosa e 3 pimentas-malaguetas dentro de 1 saquinho de papel. Quando a missa terminar, chame 7 vezes pelo seu ama- do e 7 vezes seu nome. Deixe este arranjo aos pés de um santo. Quando chegar em casa, coma as pimentas na comida e deixe a pedra embaixo de sua cama.

SIMPATIAS: PARA REALIZAR UM SONHO MATERIAL



Realizar um sonho materialPara alcançar um sonho, no dia 17 de qualquer mês, escreva num papel o nome de 7 frutas que você goste e faça um sorteio. A fruta que você pegar, não poderá comê-la por 1 ano. Fazendo isso
você conseguirá o que deseja.

Bolso cheio sempre II Na primeira noite de Lua Nova, pegue a maior nota de dinheiro que você tiver, aponte-a para o céu e diga: "Lua Nova, faça com que esta nota se renove milhões e milhões de vezes para mim”..Faça esta simpatia 3 dias seguidos, usando depois o dinheiro normalmente.
Dinheiro para sustentoPegue 3 notas de 1 real e escreva nelas o primeiro versículo do Salmo 114. Reze 13 pais-nossos e 13 ave-marias e peça a seu santo protetor com muita fé: "Preciso de ajuda como uma criança precisa de orientação; não permita que minha família passe por privações, derrama suas bênçãos sobre nós". Dê 1 nota do dinheiro para cada uma das primeiras 3 pessoas que vierem à sua cabeça.
Dinheiro extraPegue 1 pratinho com arroz cru, 1 fatia de pão e outro pratinho com açúcar. Coloque 1 moeda em cada um e enfie-os embaixo da cama, embrulhe num plástico, deixando lá até conseguir o dinheiro desejado.

22 de nov de 2012

ORAÇÃO: PARA SANTO ONOFRE - FAÇA UM PEDIDO



Meu glorioso Santo Onofre, que pela Divina Providência fostes vós santificado e hoje estais no circulo da Providência Divina, confessor das verdades, consolador dos aflitos. Vós, às portas de Roma, viestes encontrar-vos com o nosso Senhor Jesus Cristo e a graça pedistes para que não pecásseis. Assim como Lhe pedistes e recebestes a graça, eu vos peço a minha. Meu glorioso Santo Onofre, peço-vos que me façais esta esmola para eu bem passar; vós que fostes pai dos solteiros, sede também para mim. Vós que fostes pai dos casados, sede também para mim. Vós que fostes pai dos viúvos, também sede para mim, meu glorioso Santo Onofre, por meu Senhor Jesus Cristo, por sua mãe Santíssima, pelas cinco Chagas de Jesus, pelas sete dores de Nossa Santíssima Mãe Maria, pelas almas Santas Benditas, por todos os anjos e Santos do Céu e da terra. Peço-vos que me concedais a graça de... (cite a graça). Meu glorioso Santo Onofre, pela!
Sagrada Paixão e Morte de Nosso Senhor!!Jesus Cristo, pela Santa Cruz em que morreu, pelo Sangue vertido na Cruz, peço-vos que impetreis essa graça de que tanto necessito e espero ser atendido(a) num tempo menor que 40 dias, conforme o que vós dissestes com a vossa sagrada boca. Amém, em nome de Jesus. (A oração deve ser repetida ao longo desses quarenta dias de espera.)

21 de nov de 2012

ORAÇÃO À SANTA SARA KALI E AO POVO CIGANO

***Salve Santa Sarah Kali, Salve Cigano Wladimir, Salve Cigana Iris, Salve a Cigana Liláh Romaí, Salve todo o Povo Cigano !
Peço aos Ciganos que trabalhem a meu favor para que eu (....) tenha êxito na minha vida. Peço proteção contra a inveja e mau olhado na minha vida (....) e na dos meus familiares. Peço que me ajude (...) a ter muita saúde, disposição, coragem, força, sabedoria para agir e falar e trabalhar sempre honestamente.
Que eu (...) tenha muitas oportunidades, e que eu (...) consiga perceber em cada oportunidade e o momento certo de agarrá-las e fazer o melhor que puder. Que meu () esposo/namorado/amante, continue me amando de verdade e que me seja fiel e que faça tudo para me ver feliz, e que eu (....) seja realizada nessa relação. Santa Sarah Kali, peço sua proteção para que nunca me falte o básico para minha sobrevivência e de toda a minha família. Santa Sarah Kali, peço que me dê forças para estar sempre alegre e de bem com a vida. Santa Sarah Kali, peço que eu consiga perceber os inimigos para não cair em ciladas. Peço-lhe que afaste todos os que querem me prejudicar, todos os rivais inimigos e invejosos para bem longe, bem longe da minha vida.
Peço-lhe que deixe meu caminho livre, e as portas abertas para receber as Bençãos Divinas, mas, que eu tenha o corpo fechado para que ninguém possa praticar o mal contra mim. Que os inimigos e invejosos não me atinjam. Peço que me dê forças e me ajude cada vez que eu estiver preso, me liberte.
Peço à Cigana Liláh, que todos aqueles que tentarem me enganar, nunca consigam, mas que eu tenha sempre a Paz no meu coração. Peço ao Cigano Wladimir que faça justiça por mim. Que caiam as máscaras de todos aqueles que tentarem me enganar e que todo aquele que tentar se aproveitar de mim, fique fraco e me dê tudo o que eu quero. Que eu vença todos os meus inimigos e que eles se sintam humilhados e passem a trabalhar em meu favor. Que eu seja envolvido, protegido e abençoado pela Luz Cigana e que eu sempre supere a concorrência comercial, no meu trabalho, na minha empresa. Que a poderosa luz de Santa Sarah Kali, abra meus caminhos e me dê muita força e coragem e que me ajude a vencer todos os obstáculos. Peço, também, a todo o Povo Cigano, para que todos aqueles que tentarem se aproveitar da minha generosidade, me dêem em dobro o que eu desejar. Peço pelo poder de Santa Sarah Kali, que assim seja, assim será feito. Amém.
Estou publicando porque tenho fé na força do Povo Cigano e na Poderosa Santa Sarah Kali.
Ò Deus Criador deste imenso Universo, estou aqui para invocar em favor da minha vida financeira, que do alto da minha cabeça, até a planta dos meus pés, eu, (...) seja envolvida por uma corrente de riqueza. Derrame sobre mim (...) o dom da riqueza, para que eu seja a Sua Glória, e proclame Sua Existência por onde eu passar, e que o Anjo do Dinheiro, me visite e coloque em minhas mãos o Espírito da Fortuna, para que tudo o que eu toque venha a prosperar e se transforme em dinheiro, riqueza e fortuna. E TAMBÉM MUITA SAÚDE. Amém!!!****

20 de nov de 2012

SIMPATIA PARA ACABAR COM AS RUGAS



Espere uma noite de lua nova e colha algumas pétalas de rosa. Coloque-as de molho numa vasilha de barro com água filtrada e deixe-as no sereno da noite e no sol do dia seguinte. Quando anoitecer lave o rosto com esta água antes de dormir. Repita por nove dias seguidos. Com o tempo suas rugas vão suavizando naturalmente. (Repita quantas vezes desejar).

19 de nov de 2012

ERVAS CURATIVAS: ORRIRI-DE-OXUM



Orriri-de-Oxum: Entra em todas as obrigações de ori, nos banhos de limpeza. O povo a indica como diurético e estimulador das funções hepáticas.

ORAÇÃO: CHAVES DE CRISTO

CHAVE DE CRISTO VIVO...
CHAVE DE CRISTO MORTO...
CHAVE DE CRISTO CRUSCIFICADO...
CHAVE DE CRISTO RESSUSCITADO...
PELAS CHAVES DAS 7 CHAGAS DE CRISTO NO CALVÁRIO...
PELAS DORES DE SUA MÃE, MARIA SANTISSIMA, VENDO SEU FILHO NA CRUZ.
FAÇA-SE QUE ESTA MESMA CHAVE ABRA (MENCIONAR O PEDIDO).
REZAR 3 PAI NOSSO, 3 AVE MARIA E 3 GLORIA AO PAI, DIARIAMENTE DURANTE 7 DIAS. AO OBTER A GRAÇA MANDAR PUBLICAR EM AGRADECIMENTO.

O SOM DO SILÊNCIO - OSHO


"O único país do mundo, que dispensou toda sua genialidade na exploração da interioridade foi o Tibet. Eles descobriram tremendas belezas.
OM Mani Padme Hum - é uma das mais belas expressões da experiência última.
Seu significado é O SOM DO SILENCIO; O Diamante na flor de Lótus.
Silencio é também som, música, que os ouvidos não podem escutar; assim como os olhos não podem ver.
Nós temos cinco sentidos externos.
No passado o homem só conhecia cinco sentidos externos, o sexto sentido é uma nova descoberta. Ele está dentro de você. Os cinco sentidos te proporcionam experimentar o exterior, o sexto sentido te permite experimentar o interior. Proporciona a você ver, ouvir e sentir o equilíbrio, a beleza da mística espiritual.
O sexto sentido é invisível visto pelo exterior, mas não pelo interior; nem se pode tocá-lo pelos sentido externos, mas o sexto sentido está absolutamente imerso nos demais sentidos.
OM é o som que emerge quando tudo o mais desapareceu do seu ser.
Nenhum toque, nenhum sonho, nenhuma projeção, nenhuma expectativa; quando todo o seu ser é completamente silencioso, quando se transformou em um espelho.
Neste exato momento você escuta o som do silencio.
É uma das mais valiosas experiências, porque não existe nada que se aproxime disso; a música profunda, cheia de harmonia, alegria, delicadeza, beleza, tudo isso está presente na música do OM.
Não é necessário buscá-lo.
Se você buscá-lo terá perdido a coisa real.
É preciso escutá-lo a partir do seu interior, ele vem quando você está tão calmo e tranquilo e de repente ele está a sua volta, presente.
É uma música muito suave. No momento em que você está pronto para escutá-lo você terá entrado no mais profundo segredo da existência.
Você terá se tornado tão pacífico, tão sossegado que o mistério se revela você. Isso mostra que está pronto.
No Ocidente toda as religiões, sem excessão, concordam com esse ponto: o som que se escuta no ponto mais alto, no pico do silencio é algo parecido
com OM.
A palavra OM, não está escrita em nenhuma língua no Ocidente, nenhum alfabeto, porque não faz parte da linguagem, ele é lido enquanto
um símbolo ( ॐ ).
Vemos que o mesmo símbolo é usado em Sânscrito, em Pali, em Tibetano, em todos os lugares o mesmo símbolo, porque todos os místicos em todas as eras mergulharam nessa mesma e extraordinária experiência.
OM não pertence a nenhuma cultura, nenhuma parte do mundo, nem está em nenhum alfabeto, é um simbolo que está além de qualquer língua.
Não significa nada que a mente possa compreender, e no entanto tem um tremendo significado que nenhuma explicação pode alcançar."

SIMPATIAS: PARA TER PROTEÇÃO



COMPRE 1 BONECA DE PANO E DÊ UM NOME A ELA: (BRUXINHA FULANA) DÊ DE PRESENTE ÀS BRUXAS. DEIXE POR 5 DIAS LÁ. APÓS, TODAS AS NOITES CONVERSE COM A BONECA, CONTE SEUS PROBLEMAS À ELA, E DURMA COM ELA.


DE MANHÃ DEIXE NO ALTAR. VERÁS QUE TERÁS BONS SONHOS E A REVELAÇÃO DE TUDO O QUE DEVES FAZER PARA MELHORAR E SOLUCIONAR SEUS PROBLEMAS AMOROSOS E FINANCEIROS.

18 de nov de 2012

A ALQUIMIA DO AMOR: POESIA DE RUMI


Créditos: canal de
******
primeiro parágrafo do capítulo 15, em que Rumi fala da FONTE UNA. a obra Fihi-ma-fihi ou O livro do interior, publicado há alguns anos no Brasil pelas Edições Dervish

Há no homem um amor, uma dor, uma inquietude, um apelo que, mesmo se tivesse cem mil universos, não encontraria calma e repouso. As pessoas exercem todos os tipos de profissão, de negócios, e fazem todos os tipos de estudos – medicina, astronomia etc. – mas não encontram repouso, pois seu objetivo não é alcançado. Chama-se o Bem-Amado de ´repouso da alma´; e como seria possível encontrar repouso e quietude senão n´Ele? (p. 96).
****
Nas páginas do Fihi-ma-fihi também se encontra uma série de histórias contadas pelo mestre RUMI.  Uma das histórias de que fala da amizade:
“Uma grande caravana viajava e não encontrava cidade alguma, nem água. De repente, encontraram um poço, mas eles não tinham nenhum balde. Pegaram um caldeirão e cordas, e deixaram-no descer até o fundo do poço. Puxaram o caldeirão, mas a corda arrebentou. Deixaram descer um outro caldeirão e este caiu. Daí então amarraram pessoas da caravana com cordas, e enviaram-nas ao poço. Não voltaram. 
Havia ali um homem inteligente que disse: 
´Eu vou descer´. 
Deixaram-no descer. Estava quase chegando no fundo do poço, quando um ser aterrador apareceu. Esse homem inteligente disse a si mesmo: 
´Não escaparei, mas é preciso agir de forma inteligente e sem perder a cabeça, para ver o que vai acontecer comigo´. 
O ser aterrador disse: ´Não digas nada. És meu prisioneiro, não escaparás, a não ser que me dês uma resposta correta. Nada mais te salvará´. 
O homem respondeu: ´Fala´. 
O ser aterrador disse: ´Entre todos os lugares, qual é o melhor?´ 
O homem pensou: ´Sou prisioneiro e impotente em suas mãos. Se eu disser Bagdá ou qualquer outra cidade, é como se demonstrasse desprezo por sua morada´.Então ele respondeu: ´O melhor lugar é aquele onde o homem tem um amigo íntimo, mesmo se este se encontra no fundo da terra ou em um esconderijo de rato´. 
O ser aterrador disse: ´Bravo, bravo, estás salvo. És um verdadeiro homem neste mundo. Agora, eu te salvo e graças a ti salvo os outros, de agora em diante não cometerei mais crimes. Perdoei todos os homens do mundo por amor a ti´. Em seguida, ele deu água às pessoas da caravana”(p. 120). 
******
O Fihi ma Fihi ( persa : فیه مافیه; do árabe : فیه ما فیه), significa literalmente "É o que é", ou "Em que o que está nele") é uma obra persa em prosa do século 13  do escritor Sufi Mewlānā Jalāl ad-Din Muhammad Balkhi também conhecido como Rumi . O livro é composto de 72 discursos curtos.
Uma página de Fihi ma Fihi de MuntaXab-i Fihi ma Fihi
O título e a origem do livro
De acordo com JM Sadeghi o título "Fihi ma Fihi" apareceu em uma cópia datada de 1316. Outra cópia do livro datado 1350 tem o título "Asrar al-jalalieh". Rumi no quinto volume de Masnavi-i Ma'navi menciona [1] que
" 
بس سوال و بس جواب و ماجرا
بد میان زاهد و رب الوری
که زمین و آسمان پر نور شد
در مقالات آن همه مذکور شد
"
que provavelmente se refere a este livro. O título "Maghalat-e Mowlana" cópias do livro publicado no Irã .
Não se sabe muito sobre o tempo de publicação e o autor do livro. De acordo com B. Forouzanfar, o editor da cópia mais confiável do livro, é provável que o livro foi escrito por Sultanwalad, o filho mais velho de Rumi, baseado em manuscritos e anotações feitas por ele mesmo ou de os outros das palestras de seu pai em Masnavi-i Ma'navi .
Importância
A importância deste trabalho está em ser um dos primeiros livros persas em prosa após a chamada evolução da literatura persa (Enghelab-e adabi). Além disso, o livro tornou-se uma introdução ao Masnavi. Também muitos conceitos em sufismo são descritos neste livro, em termos simples.


O Masnavi ou Masnavi-I Ma'navi (em persa: مثنوی معنوی), (em turco: Mesnevi), também escrito como Mathnawi ou Mesnevi, escrito em persa por Jalal ad-Din Muhammad Rumi, o celebrado santo sufi e poeta persa, é um dos trabalhos mais conhecidos e influentes tanto do sufismo quanto da literatura da Pérsia. Contando com seis livros de poemas compreendendo mais de 50.000 linhas, representa em 424 histórias a luta e o sofrimento do homem em sua busca pelo DIVINO.

O título Masnavi-I Ma'navi significa "Dísticos Rimados de Significado Espiritual Profundo." É considerado por alguns como o trabalho capital da literatura sufi. O próprio Rumi referiu-se ao Masnavi como "a raiz das raízes das raízes da religião (islâmica)." Embora o original ainda exista, muitas versões diferentes do Masnavi foram publicadas no Irã, Índia e Paquistão.



e trecho extraído de: http://en.wikipedia.org/wiki/Masnavi


Fihi-Ma-Fihi
«Se esse conhecimento pudesse ser obtido simplesmente pelo que dizem outros homens, não seria necessário entregar-se a tanto trabalho e esforço, e ninguém se sacrificaria tanto nessa busca.

Alguém vai á beira do mar e só vê água salgada, tubarões e peixes. Ele diz:

«Onde está essa pérola de que falam? Talvez não haja pérola alguma».

Como seria possível obter a pérola simplesmente olhando o mar? Mesmo que tivesse de esvaziar o mar cem mil vezes com uma taça, a pérola jamais seria encontrada.

E preciso um mergulhador para encontrá-la.»
RUMI
Trecho extraído de:
******
Jalaluddin RUMI
"Se pensar em um bem-amado deste mundo traz tanta força e benefícios, o que há de surpreendente no fato de o Amigo Divino dar força a Seu amigo tanto na presença quanto na ausência? Isso não é imaginação; é a alma de todas as verdades e não se pode dizer que é imaginação.
O mundo está fundado na imaginação. Tu pensas que este mundo é real porque o vês e o tocas, chamas todas as realidades profundas (mani), às quais este mundo está subordinado, de imaginação. É o contrário (que é correto). A imaginação é este mundo e a realidade pode criar cem mundos parecidos, que apodrecem, deterioram-se e se destroem; ela pode ainda criar um mundo melhor que não envelhece, que está longe de ser novo ou velho; tem a qualidade de ser velho ou novo o que decorre disso. Aquele que criou essas duas coisas está distante e acima delas. [O Rei do Amor oferece dois mil raios de luz a cada momento. D'Ele não desejo ver outra coisa senão Sua Beleza.] Um arquiteto projeta em seu pensamento uma casa e cria imagens: ele imagina seu comprimento, sua largura, o piso, o pátio. Essas imagens não são a imaginação: a realidade sai dessa imaginação e depende dela. O homem que não é arquiteto e que elabora formas e imagens em pensamento, usa a imaginação; normalmente, as pessoas dizem a esse homem que não é arquiteto e não conhece esta arte: "Estás imaginando coisas".
...
Se esse conhecimento pudesse ser obtido simplesmente pelo que dizem outros homens, não seria necessário entregar-se a tanto trabalho e esforço, e ninguém se sacrificaria tanto nessa busca. Alguém vai à beira do mar e só vê água salgada, tubarões e peixes. Ele diz: "onde está essa pérola de que falam? Talvez não haja pérola alguma". Como seria possível obter a pérola simplesmente olhando o mar? Mesmo que tivesse de esvaziar o mar cem mil vezes com uma taça, a pérola jamais seria encontrada.
É preciso um mergulhador para encontrá-la."
...
"Procurai não dizer que entendestes... A compreensão reside em não compreender... Para ti, essa compreensão é um obstáculo. É preciso escapar dela. Para alcançar o sentido profundo (mani) dissimulado "sob o véu das palavras", somente disponibilidade, ou receptividade não bastam: é necessário um esforço, uma atitude, primeiro passo que faz daquele que questiona - ou se questiona - um peregrino, no Caminho. A utilidade da palavra será portanto a de fazer-te procurar e a de iniciar-te; o que não quer dizer que a coisa que se busca seja obtida pela palavra: se fosse assim, não terias que fazer tanto esforço... A palavra é como algo que vês mover-se de longe: vais à sua procura para vê-la, mas não é por causa de seu movimento que a vês. A palavra do homem, sob seu aspecto oculto, é algo como: ela te faz buscar o sentido, embora na realidade não o vejas".
Rumi. Século XIII. Fihi Ma Fihi. Tradução do original persa por Eva de Vtray-Meyerovich. Rio de Janeiro, Edições Dervish, 1993.320 p. p.9, p.165, p.capa.



Sobre Jalaluddin Rumi.
Jalaluddin Rumi nasceu em Balkh, na província da Pérsia, atual Afeganistão. Balkh era na época uma cidade proeminente e a família de Rumi oferecia serviços de ordem legal e religiosa. Fugindo dos Mongóis que estavam tentando conquistar a região, a família de Rumi viajou para várias cidades, finalmente instalando-se em Karaman, perto de Konya, onde fica hoje a Turquia.
O pai de Rumi era teólogo, professor e disseminador do Islã. Rumi continuou essa tradição e, após a morte de seu pai em 1231, assumiu o posto dele como professor proeminente. Essa parte do mundo era na época conhecida como Rum, nome derivado do Império Romano Bizantino que havia anteriormente o contido. O nome de Jalaluddin Rumi na religião e literatura deriva de Rum. Rumi é atualmente considerado um místico e poeta persa e é identificado com o sufismo e o misticismo sufi, em que os devotos buscam uma união mística com D'us. Em 1244, Shams ad-Din (filho da religião), um devoto sufi itinerante de Tabrìz, tornou-se mentor de Rumi.
Ao longo de dois anos, Rumi e Shams ad-Din cultivavam uma amizade platônica e compartilhavam a mesma casa.
Os Sufis tinham a tradição de amizades platônicas próximas baseadas em metas espirituais em comum. Anteriormente a essa amizade, Rumi era um renomado professor. Seus alunos ficaram ameaçados pela amizade de Rumi com Shams e ameaçaram-no. Shams ad-Din desapareceu subitamente em 1247 e Rumi compôs aproximadamente 30.000 versos de poesia, as letras de Lyrics of Shams of Tabrìz, expressando seus sentimentos diante do desaparecimento de seu amigo.
Ele mais tarde desenvolveu amizades espirituais profundas que também não foram bem aceitas por seus alunos. Uma dessas amizades novamente inspirou Rumi a escrever versos, especialmente o poema épico Masnavi I Ma\'navi, que exerceu uma enorme influência sobre a literatura e pensamento islâmicos. Esse amigo, Husam ad-Din Chelebi, tornou-se líder da ordem de Mevlevi após a morte de Rumi, em 1273. Rumi havia ensinado que "Muçulmanos, cristãos, judeus e zoroastas deveriam ser vistos através de um único olho”. Konya é hoje um local de peregrinação de milhares de pessoas.


***
 
Jalal ad-Din Muhammad Rumi
Nascimento 30 de setembro de 1207
Morte 17 de setembro de 1273 (65 anos)
Ocupação Poeta, jurista, teólogo

Mawlānā Jalāl-ad-Dīn Muhammad Rūmī (مولانا جلال الدین محمد رومی), também conhecido como Mawlānā Jalāl-ad-Dīn Muhammad Balkhī (محمد بلخى), ou ainda apenas Rumi ou Mevlana, (30 de setembro de 1207 — 17 de setembro de 1273), foi um poeta, jurista e teólogo sufi persa[1] do século XIII. Seu nome significa literalmente "Majestade da Religião"; Jalal significa "majestade" e Din significa "religião".[2] Rumi é, também, um nome descritivo cujo significado é "o romano", pois ele viveu grande parte da sua vida na Anatólia, que era parte do Império Bizantino dois séculos antes.[3]

Túmulo de Rumi em Konya, Turquia.

Ele nasceu na então província persa de Balkh, na aldeia de Wakhsh, atualmente na província de Khatlon do Tadjiquistão. A região estava, nessa época, sob a esfera de influência da região de Khorasan e era parte do Império Khwarezmio.
Ele viveu a maior parte de sua vida sob o Sultanato de Rum, no que é hoje a Turquia, onde produziu a maior parte de seus trabalhos[4] e morreu em 1273 CE. Foi enterrado em Konya e seu túmulo tornou-se um lugar de peregrinação. Após sua morte, seus seguidores e seu filho Sultan Walad fundaram a Ordem Sufi Mawlawīyah, também conhecida como ordem dos dervishes girantes, famosos por sua dança sufi conhecida como cerimônia sema.
Os trabalhos de Rumi foram escritos em novo persa. Uma renascença literária persa (século VIII/IX) começou nas regiões de Sistan, Khorāsān e Transoxiana[5] e por volta do século X/XI, ela substituiu o árabe como língua literária e cultural no mundo islâmico persa. Embora os trabalhos de Rumi houvessem sido escritos em persa, a importância de Rumi transcendeu fronteiras étnicas e nacionais. Seus trabalhos originais são extensamente lidos em sua língua original em toda a região de fala persa. Traduções de seus trabalhos são bastante populares no sul da Ásia, em turco, árabe e nos países ocidentais. Sua poesia também tem influenciado a literatura persa bem como a literatura em urdu, bengali, árabe e turco. Seus poemas foram extensivamente traduzidos em várias das línguas do mundo e transpostos em vários formatos; A BBC o descreveu como o "poeta mais popular na América".[6]

Trabalhos principais
A poesia de Rumi é frequentemente dividida em diversas categorias: os quartetos (rubayāt) e odes (ğazal) do Divan, os seis livros do Masnavi, Os Discursos, As Cartas e o praticamente desconhecido Seis Sermões.
Trabalhos poéticos
Maṭnawīye Ma'nawī
Museu Mevlâna, Konya, Turquia

A principal obra de Rumi é o Maṭnawīye Ma'nawī (Dísticos Espirituais; مثنوی معنوی), um poema em seis volumes considerado por alguns como sufi[7] como o Corão em língua persa. É considerado por muitos como um dos maiores trabalhos de poesia mística.

A outra grande obra de Rumi é o Dīwān-e Kabīr (Grande Obra) ou Dīwān-e Shams-e Tabrīzī (As Obras de Shams de Tabriz; دیوان شمس تبریزی intitulado em honra do grande amigo e inspiração de Rumi, o dervixe Shams) e contendo aproximadamente quarenta mil versos. Várias razões foram dadas para a decisão de Rumi de dar o nome de Shams à sua obra prima; algumas pessoam defendem a ideia de que já que Rumi não teria sido um poeta sem Shams, é justo que a coleção receba seu nome.

Trabalhos em Prosa
Fihi Ma Fihi (Nele o Que Estiver Nele, Persa: فیه ما فیه) é uma coletânea de setenta e uma palestras dadas por Rumi em várias ocasiões para seus discípulos. Foi compilada a partir das anotações de vários de seus discípulos, e portanto Rumi não escreveu o trabalho diretamente.[8]

Uma tradução para o inglês a partir do persa foi publicada pela primeira vez por A.J. Arberry como os Discourses of Rumi (Discursos de Rumi) (New York: Samuel Weiser, 1972), e uma tradução do segundo livro por Wheeler Thackston, Sign of the Unseen (Sinal do Invisível) (Putney, VT: Threshold Books, 1994).
Majāles-e Sab'a (Sete Sessões, Persa: مجالس سبعه) contêm se sermões persas (como implicado pelo nome) ou palestras dadas em diferentes assembleias. Os sermões propriamente dão um comentário sobre o sentido mais profundo do Corão e do Hadith. Os sermões também incluem citações dos poemas de Sana'i, 'Attar e outros poetas, incluindo o próprio Rumi. Como relatado por Aflakī, após o Shams-e Tabrīzī, Rumi deu sermões pela requisição de notáveis, especialmente Salāh al-Dīn Zarkūb.[9]
Makatib (As Cartas, Persa: مکاتیب) é o livro contendo as cartas de Rumi em persa para seus discípulos, familiares e homens influentes e do governo. As cartas testificam que Rumi estava bastante ocupado ajudando familiares e administrando uma comunidade de discípulos que cresceu ao redor deles.


Referências

  1.  B. Ghafurov, "Todjikon", 2 vols., Dushanbe 1983-5.
  2.  Rumi's Spirituality. Página visitada em 15 de outubro de 2007.
  3.  Schwartz, Stephen. "The Balkin Front." Weekly Standard, 14 de maio de 2007.
  4.  Barks, ColemanRumi: The Book of Love: Poems of Ecstasy and Longing, p. xxv Harper Collins (2005), ISBN 0-06-075050-2
  5.  Lazard, Gilbert "The Rise of the New Persian Language", in Frye, R. N., The Cambridge History of Iran, Cambridge: Cambridge University Press, 1995, Vol. 4, pp. 595–632. (Lapidus, Ira, 2002, A Brief History of Islamic Societies, "Sob governo árabe, a língua árabe tornou-se a língua principal paa a administração e religião. A substituição do persa médio por árabe foi facilitada pela tradução dos clássicos persas em árabe. O árabe tornou-se o principal veículo da alta cultura persa e manteve-se assim até o sécuo XI. A língua parsi declinou, tendo sido mantida viva principalmente pelo clero zoroástrico no Irã ocidental. As conquistas árabes, entretanto, ajudaram a tornar o persa ao invés do árabe a língua mais comum falada no Khurasan e nas regiões além do rio Oxus. Paradoxalmente, o domínio árabe e islâmico criaram uma região cultural persa em áreas nunca antes unificadas pela língua persa. Um novo persa desenvolveu-se desta situação linguística complexa. No século IX, os governadores Tahirid de Khurasan começaram a escrever a velha língua persa em caracteres árabes ao invés de caracteres pahlavi. Ao mesmo tempo, senhores orientais nos principados pequenos começaram a patrocinar uma poesia da corte local numa forma elevada de persa. A nova poesia era inspirada por formas de versos árabes, de modo que patrões iranianos que não entendessem a língua árabe pudessem compreender e apreciar a apresentação de uma poesia elevada e dignificada na maneira de Bagdá. Esta nova poesia floresceu em regiões onde a influência cultural abássidafoi atenuada e onde não tinha que competir com a tradição sobrevivente dos clássicos literários em persa médio cultivados por motivos religiosos no Irã ocidental. Nas regiões ocidentais, incluindo o Iraque, a Síria e o Egito e as terras do ocidente islâmico longínquo incluindo o norte da África e a Espanha, o árabe tornou-se a língua predominante tanto da alta cultura literária quanto do discurso oral." pp. 125–132, Cambridge: Cambridge University Press.)
  6.  Charles Haviland (2007-09-30). The roar of Rumi - 800 years on. BBC News. Página visitada em 2007-09-30.
  7.  Abdul Rahman Jami nota:
    من چه گویم وصف آن عالی‌جناب — نیست پیغمبر ولی دارد کتاب
    مثنوی معنوی مولوی — هست قرآن در زبان پهلوی

    O que posso dizer em honra daquele grande homem?
    Ele não é um profeta mas veio com um livro;
    Masnavi Espiritual de Mowlavi
    Masnavi Espiritual de Mowlavi
    É o Corão na língua de Pahlavi (Persa).

    (Khawaja Abdul Hamid Irfani, "The Sayings of Rumi and Iqbal", Bazm-e-Rumi, 1976.)
  8.  Franklin Lewis, Rumi: Past and Present, East and West – The Life, Teachings, and Poetry of Jalal al-Din Rumi, Oneworld Publications, 2000, Capítulo 7.
  9.  Franklin Lewis, Rumi: Past and Present, East and West – The Life, Teachings, and Poetry of Jalal al-Din Rumi, Oneworld Publications, 2000.


******

Enviado por  em 08/02/2012
Enviado por  em 09/12/2010
Trechos da Cerimônia Sema - Dervixes rodopiantes na estação Sirkeçi em Istambul, Turquia.